Namorando as palavras com a ponta dos dedos

05
Ago 06
Seguia devagar como quem procura o caminho de volta. As mudanças eram visíveis , por isso o passo era curto. O cansaço toldava-lhe os movimentos, sentara-se numa pedra de beira de caminho olhando as águas deslizantes do ribeiro que o vinha acompanhando desde manhã cedo. As águas rodavam de encontra as margens polidas de tanto esperar, por vezes fatias de terra deslizavam água abaixo diluindo-se no turbilhão da corrente.
Porque a estação era a primavera, andorinhas rasavam o espelho de água num constante vaivém de predadores de insectos.
publicado por Jalves às 22:54

Jalves, vim agradecer sua passagem pelo "textura" e a gentileza do comentário. Aproveitei e fiz um tour por essa bela paisagem formada de palavras geometricamente harmoniosas. Gostei muito de seus olhares.

Obrigada e até outra hora,

Val
Valéria Tarelho a 8 de Agosto de 2006 às 22:30

Grato por ter passado cá por casa, e deixado comentário
Jalves a 11 de Agosto de 2006 às 00:02

Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

14
15
16
17
18

21
22
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO