Namorando as palavras com a ponta dos dedos

13
Ago 06
Vem de longe o tempo das andorinhas.
Rasavam o chão em seus voos.
Chegava a primavera, de mimosas nas paredes altas e de entre as fragas, o amarelo sussurrava.
Pirilampos na noite escura, ou pequenas lanternas com asas.
As aguas viajavam correntes de mares num vaivém sem fim.
No bater e ruçar constante em suas margens o ressaltar da espuma lembrando rendas da avô.
De margem a margem, o constante bailado das velas branco cinza, despertava no olhar a curiosidade das coisas longínquas .
publicado por Jalves às 08:20

Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

14
15
16
17
18

21
22
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO