Namorando as palavras com a ponta dos dedos

19
Ago 06
Os passos sentiam-se cada vez mais perto , eram pela certa de sola grossa pois bem vincado era o som que no ar ia deixando, aquele andar de cadencia certa, sinal de personalidade forte ou intuitos pré determinados. Fumava, pois audível foi o esmagar entre a sola e a calçada do que de um cigarro restava. O vento fustigava quebrando-se de encontra as esquinas da rua já sem gente para testemunhar aquela figura escura como a noite. Gotas de água esmagavam-se de encontre as pedras e escorriam por entre as fendas procurando o fundo do ventre da terra mãe. Molhado o que restava do cigarro desfazia-se em mil pedaços, e virado para trás só o gato prestando atenção ao camião do lixo que avançava devorando nas suas entranhas as sobras de mais um dia.
publicado por Jalves às 00:03

Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

14
15
16
17
18

21
22
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO