Namorando as palavras com a ponta dos dedos

23
Ago 06
As letras e os cometas são poeira do mesmo saco astral
Se lhes dá o vento vão parar ao quintal das estrelas cadentes
Carentes videntes saltando nos caminhos virados a sul
Vertem feitiços nas malhas dos ancestrais fornos de azedo metal
Gritam batendo a pedra em jeito de oração mais amargo que sumo de limão
No circulo rodam os corpos até ao tombo no chão vítreo dos cristais fundidos no frio dos tempos
E o silêncio se deita na toalha da mesa flutuante das marés vazias de barcos encalhados na escuridão
publicado por Jalves às 23:16

O silêncio... o silêncio.
viagens low cost a 10 de Maio de 2010 às 21:52

Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

14
15
16
17
18

21
22
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO